domingo, outubro 28, 2007, posted by # 7 at 20:30


video
E assim foi. Mais uma prova que participei e, sinceramente, penso que não correu mal.
Foi a Corrida do Tejo, prova em que participaram nomes conhecidos como Rui Silva e a grande Vanessa Fernandes, personalidades que por acaso até acabaram por ganhar a prova.
Eu fui com o meu sogro e com o meu pai. Eram 8500 pessoas a correr 10 Km e eu consegui ficar em 982º. Acho que não foi mau, tendo em conta que parti no último grupo, visto que não possuo nenhum documento que prove que consigo percorrer 10 Km em menos de 48 minutos. Certo foi que mesmo partindo do fim da fila, fiz a distância em 44 minutos e 19 segundos. Porreiro para um amadorzeco, não?
Estão a ver esse vídeo aí em cima? Então reparem aos 20 segundos, o rapaz de boné ao contrário na cabeça, que corta a meta do vosso lado direito, junto ao sr. de t-shir azul. Pois é, sou eu mesmo. É pena ser a única imagem disponível mas olha, melhor que nada.
Acho que estou a ficar um bocado viciado nestas andanças. Ando a ver se encontro um calendário o mais completo possível de todas as provas a nível nacional e as que puder ir irei concerteza. Agora é só correr correr correr.
 
segunda-feira, outubro 15, 2007, posted by # 7 at 12:28



Desde que me lembro de ser eu, sempre fiquei doente por tudo e por nada.
No Verão, lá vinham as anginas, as febres as dores, sempre e sem excepção. No Inverno, amigdalites, gripes e constipações, enfim, qualquer coisita e lá ficava o Emanuel doente. Tudo isto já para não falar dos problemas musculares. Distensões musculares, torcicolos e afins eram o pão nosso de cada dia.

Um dia, bem, um dia resolvi parar de falar e entrar em acção, porque sempre ouvi dizer que falar é fácil. Em vez de me estar a queixar de estar sempre doente e de me doer isto e aquilo, resolvi começar a ter uma vida mais regrada e saudável. Comecei a fazer regularmente exercício físico, a alimentar-me correctamente e uma coisa vos digo......... já não me lembro claramente da última vez que estive doente e quanto às dores no corpo, essas só aparecem quando me desleixo um pouco e fico sentado no sofá mais do que devia.
Por tudo isso e mais algumas coisas, faz-me uma certa confusão o modo de vida que a grande maioria das pessoas leva. Toda a gente gostaria de ser melhor mas muito pouca gente faz algo por isso.
Um dia vi uma entrevista com a Vanessa Fernandes e a determinada altura ela disse algo que ficou marcado na minha mente: "As pessoas não têm a noção do que o corpo humano é capaz de aguentar."
Por isso andamos sempre a dizer que não conseguimos, que é difícil e, pior ainda, a gozar com quem leva um modo de vida saudável.
Não é raro eu ir a correr e ouvir barris de vinho e cerveja que se auto-intitulam de seres humanos a dizer que eu sou maluco. Esperemos que todos esses iluminados que sabem das coisas boas da vida nunca se vejam perante situações em que tenham que apelar aos seus sentidos mais primitivos, como o correr para ajudar alguém, o ser mais forte do que a pessoa que nos quer mal, o ter a capacidade para aguentar um esforço acima do normalmente exigido pela vida. Esperemos que tal nunca aconteça pois possivelmente irão se lembrar do MALUCO, do GRANDA CROMO que viram um dia a fazer pela vida e pensarão que talvez também eles devessem ter investido na sua própria saúde ao invés de gozar com os outros.
Eu sinto-me bem. Eu hoje aguento o que não me passava pela cabeça aguentar quando tinha 18 anos. Sou maluco? Talvez. Mas é uma maluquice que adoro. É a minha droga. É a minha adicção.
 
domingo, outubro 14, 2007, posted by # 7 at 23:34

A todos os ignorantes que abdicam da convivência em família preferindo o trabalho, a todos os energúmenos que preferem ter mais trabalho de forma a ter mais dinheiro do que passar tempo com quem os ama, a todos os cromos que abdicam do tempo livre que têm apenas para poderem trabalhar mais para conseguirem comprar aquele lcd xpto HD ready para poderem vegetar sentados no sofá, a todas as bestas que devido ao materialismo crescente da nossa sociedade, em 24 horas do dia, conseguem passar apenas 1 com os filhos, a todos os imbecis que acham que o que é bom é ter um carro topo de gama e não tempo para dedicar a quem realmente é importante, a todos os estúpidos que colocam o emprego acima de tudo e todos com a desculpa de estar a tentar proporcionar uma melhor vida para os filhos que quando crescerem mal os irão reconhecer.................BOA SORTE.......TUDO DE BOM.
 
sábado, outubro 13, 2007, posted by # 7 at 19:34

Não, não fui rigorosamente educado. Não me foi ensinado que a pontualidade é uma maneira de ser educado. Ainda assim, sinto que nasci no país errado quando toca a este assunto.

Por muito que tente não consigo compreender porque é que as pessoas se atrasam. Os transportes, as consultas no médico, a abertura de lojas, os eventos sociais. Não entendo. Porquê os atrasos, porquê a demora? Se as coisas são marcadas para determinada hora, porque não acontecem da maneira planeada?

Acho que por um lado é bom o facto de eu não ser chefe de ninguém, porque de todos os defeitos possíveis e imaginários de alguém, acho que o único que eu não consegueria perdoar seria a falta de pontualidade.

Obviamente que isto não passa de mais uma opinião minha. Apenas a minha maneira de ver as coisas, mas acho que a falta de pontualidade constitui uma enorme falta de respeito para com a pessoa com quem se marcou determinado compromisso.

Quem não me conhece não poderá dizer nada fundamentado em coisa alguma, mas quem me conhece minimamente sabe que detesto chegar atrasado para o que quer que seja.
É uma questão de repeito.
 
Emanuel Simoes

Criar seu atalho