sexta-feira, agosto 24, 2012, posted by # 7 at 01:06





Desde que comecei a experimentar correr com calçado minimalista, aldrainventado por mim, que fiquei curioso em relação aos estranhos sapatos com compartimentos para os dedos, os Vibram 5 fingers.

Fiz algumas pesquisas mas, desde logo, o preço deste produto assustou-me. Em Portugal, através dos representantes da Vibram 5 fingers, o par mais barato custa mais de 100 euros.
Ora, se por um lado estava ansioso por saber qual a sensação de correr com umas coisas destas, por outro, não estava disposto a dar tal quantia por algo que me era tão desconhecido.
Mas esse foi um obstáculo ultrapassado, após conversa com um amigo que, sendo um mestre nestas coisas de arranjar coisas a preços, tal como o calçado, minimalistas, conseguiu encontrar um sítio onde pelo preço de um par em Portugal, eu poderia comprar três pares. Lá se vai o ajudar a economia portuguesa.

Na passada 2ª Feira, lá fui eu levantar a minha encomenda aos correios e, como não poderia deixar de ser, propus-me desde logo a experimantar esta nova aquisição nesse mesmo dia.

Devo dizer que li algumas coisas e vi alguns vídeos sobre como utilizar este calçado e que, como é óbvio, deveriam ter sido as minhas linhas guia. Mas não foram.

Para calçar os sapatos, foi um martírio. Os dedos dos pés estão de tal forma habituados ao calçado convencional que alguns dedos parecem simplesmente se negar a entrar nos orifícios criados para o efeito.
Depois de muita persistência, lá consegui calçá-los e aí começou a estranheza sentida por ter os dedos dos pés afastados entre si.
Mas a história ainda mal havia começado.

Estava tão entusiasmado que, no mesmo dia em que os fui buscar e logo a seguir ao jantar, tive que ir dar uma corrida. De frisar que aconselham a que quando compramos este calçado, que andemos algum tempo com eles e que a 1ª corrida seja uma distância curta, para uma melhor habituação.

E eu o que fiz? Para além de ter ido correr logo a seguir a jantar (o que faz maravilhas à digestão), arranquei a uma passada elevada (para mim, claro) e, ao invés de correr 5 ou 7 km, fui correr mais de 12.
Ou seja, a sensação de leveza foi notória. Apesar de ter acabado de comer, senti-me leve e fiz um bom treino com uma média de 04:09m/km, o que, para treino, não me parece mau.
O pior foi que os meus pés não estavam habituados a este estranho tipo de calçado.
Resultado: algumas bolhas e dores em locais que nunca antes havia sentido o que quer que fosse.

Tenho andado a fazer uma habituação progressiva, a sair com os sapatos calçados, passando grande parte do dia com eles e hoje, voltei a fazer algo muito inteligente. Fui correr a seguir ao almoço, com mais de 30º de temperatura e com os pés cheios de pensos por causa das bolhas e feridas. Mais de 13 km debaixo de um Sol forte, mas, valeu a pena. Cada vez estou mais habituado às novas "barbatanas" e estou ansioso por completar a minha 1ª prova com estes sapatos.

Ainda assim, continuo na minha cruzada pela construção de umas sandálias ainda mais minimalistas, que me permitam correr ainda mais leve.

Uma coisa é certa, um corpo habituado a décadas de caminhadas e corridas com calçados feitos para amortecer o impacto do andar, irá certamente sentir dor quando passa para a utilização deste tipo de calçado.
Mas, tal como correr em si, se fosse fácil não dava pica.
 
2 Comments:


At 3 de novembro de 2012 às 23:21, Blogger pedro cruz

Visite o único grupo de facebook, para discussão sobre calçado minimalista, obrigado

https://www.facebook.com/CalcadoMinimalista

 

At 18 de fevereiro de 2013 às 12:01, Blogger Fernando Soares

Podes dizer qual foi o site onde compras-te?

Obrigado

 


Emanuel Simoes

Criar seu atalho